Conheça o novo CD!

comprar

ouvir

                        David Feldman volta a tocar com trio em novo CD, mais autoral, e no qual conta com as participações de Toninho Horta e Raul de Souza.

 

“Muito bom colocar um CD pra tocar e, de cara, começar a levantar ‘um voo’ musical, dada a qualidade do que se está ouvindo” (Ivan Lins)

 

“‘Horizonte’ é um dos melhores CDs de música instrumental brasileira que surge nesses últimos 10 anos” (Rosa Passos).

 

                         Ele vem de uma família ligada à música clássica. Em seus CDs anteriores, “O som do Beco das Garrafas” (2009) e “piano” (2014), flertou com a bossa e com o jazz, consolidando-se entre os novos talentos instrumentais do país. Agora, aos 38 anos, David Feldman olha para novos horizontes.                             Em seu terceiro CD, “Horizonte” (cujo título não foi dado por acaso), o pianista apresenta composições próprias (sete das dez faixas), ligadas à linha melódica da canção (“Adoro canção e música popular”, explica) e, ao lado de André Vasconcellos (baixo) e Marcio Bahia (bateria), mata a saudade de tocar em trio. O disco traz ainda as participações do maestro Toninho Horta (violão) e do trombonista Raul de Souza – referências na formação de David. Horta é um dos três compositores regravados no álbum – no caso, sua “Soccer ball”. Os demais são Oscar Castro Neves (“Chora tua tristeza”, com Luvercy Fiorini) e Johnny Alf (“Céu e mar”). O CD será lançado, dia 13 de outubro, no Solar de Botafogo.

                             Quando o assunto é música, David não é hermético ou purista. Em seu  iPod cabem desde o clássico, passando pela MPB tradicional, e chegando ao rock e ao pop dos anos 1980. Natural que tais influências deixem vestígios no seu processo criativo. E um elo foi percebido por ele nos temas que compôs recentemente: o de suas melodias estarem mais longe de um virtuosismo e mais próximas do que chama de uma linha melódica da canção -- ainda que nenhuma delas tenha sido letrada. “O que me interessa hoje não é a quantidade de notas que posso tocar, mas a qualidade da sonoridade obtida com elas”, explica o músico.

                             E para chegar a tal sonoridade, David pôs em prática uma vontade que o acompanhava há tempos: a de voltar a tocar em trio. O passo seguinte foi convocar André Vasconcellos (baixo) e Marcio Bahia (bateria). “Adoro tocar com os dois porque eles têm um tempo e um senso rítmico fortes. E não ficam engessados, conseguem tocar ao redor do que você faz. Como uma flutuação”, analisa. E por que não voar mais alto? Toninho Horta deu uma turbinada ali, e Raul de Souza, o sopro que faltava. “Num tempo em que as pessoas se vêem cada vez menos, fiz questão de promover esses encontros, com todo mundo tocando junto”, frisa Feldman.

                           Tal mistura deu liga. David sabe que sua sonoridade mudou. Tal mudança foi gradual. Neste caso, “Chora tua tristeza”, faixa que abre o CD, tem uma função estratégica: servir de ponte entre o que ele vinha fazendo para o que ele mostra neste novo trabalho. “Se compararmos o CD com uma série de TV, essa faixa tem a função de situar o espectador sobre o que aconteceu na trama, tipo ‘No capítulo anterior’”, compara ele, com bom humor. E a brincadeira para por aí. Sua relação com a música é séria. E leve como um voo entre céu e mar. Afivelem os cintos!

 

 

O CD comentado faixa a faixa por Rosa Passos:

  1. Chora Tua Tristeza.  "Elegância e sofisticação".

 

  1. Melancolia. ”Tristeza calma e suave".David Feldman como compositor tem a capacidade de  transmitir seu sentimento do momento nas suas composições."

 

  1. Navegar. “Navegar passa uma sensação de estar navegando mesmo em águas claras e calmas, avistando um horizonte limpo e amplo. A melodia confirma essa sensação quando a música termina em MAIOR!".

 

  1. Tetê. Participação luxuosa de Toninho Horta e um casamento perfeito do violão com o piano, onde o respeito  está em primeiro plano, pois é o encontro de dois músicos geniais!.

 

  1. Sliding Ways. "Um samba delicioso com a presença do trombone de veludo do Grande Raul de Souza num improviso que dá o toque de alegria que a música pede. A bateria de Marcio Bahia numa condução maravilhosamente brasileira e elegante. André Vasconcellos mantendo um chão com nuances leves, soltos e firmes! Uma delícia de se ouvir!"

 

  1. Penumbra. “Um fio de música que se estende através de um movimento percussivo e introspectivo. Uma "Penumbra" Em forma de música."

 

  1. Soccer Ball(Bola de Futebol).  "Um encontro de um time de craques!!! Momento de diversão,virtuosismo discreto,conversa entre os instrumentos, amigos geniais que se tornam em um só, fazendo gol, numa jogada musical, genuinamente brasileira."

 

  1. Esqueceram de mim no aeroporto. "Um nome de música muito interessante! Melodicamente senti uma sensação de estar perdida no aeroporto de Paris,com um mundo de gente correndo para não perder o voo quando de repente mergulho de cabeça nos improvisos de André  Vasconcellos e Marcio Bahia e aí vem aquela deliciosa sensação de que não estou mais sozinha".

 

  1. Adeus. ”Minha faixa preferida.!Chorei ao escutá-la mais de uma vez.Tive a sensação o tempo todo de estar dentro de um quadro de Monet, numa tarde de sol com uma sombrinha primaveril cobrindo a minha cabeça, andando num bosque cheio de margaridas indo para algum lugar...".

 

  1. Céu e mar. "Um clássico da Música Brasileira do Grande Johnny Alf. David Feldman sempre imprimindo  sua marca elegante e genial de  tocar conversando e dando vida ao seu piano que em suas mãos mágicas fala, tem idéias próprias. A leitura desse clássico nas mãos desses três grandes músicos é de uma leveza, de uma elegância e, de uma brasilidade ímpar".

 

Serviço CD:

Título: “Horizonte”

Artista: David Feldman

Selo: independente

Distribuição: Trattore

Preço sugerido: R$ 26

Mais sobre David Feldman no site:  www.davidfeldmanmusic.com

 

Mais informações:

Christovam Chevalier Comunicação

(21) 9 9177-4761 ou christovam.chevalier@gmail.com

on/off